quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014



Isso mereçe ser compartilhado:
Durante a segunda guerra, Irena conseguiu permissão para entrar no Gueto de Varsóvia como encanadora, e para fazer limpeza de esgoto. Toda vez que ela saia do gueto, escondia uma criança no fundo de sua sua caixa de ferramentas, ou em sacos de lixo. Ela adestrou um cão, para fazer barulho quando ela deixava o gueto, e assim atrair a atenção dos guardas nazistas. Ela salvou 2500 crianças da morte. Nos momentos finais da guerra, ela foi descoberta, e os nazistas quebraram as pernas e braços dela. Cada criança salva tinha o nome escrito em papel, e escondido em uma jarra enterrada no quintal dela. Após a guerra, ela pegou o registro de cada uma das crianças, e tentou achar os parentes. As crianças que ficaram definitivamente sem parentes vivos foram orientadas para adoção. Em 2007 ela foi indicada ao prêmio Nobel da paz, mas quem ganhou foi o Al Gore, por seu power-point sobre mudanças climáticas... Ela morreu em 2008, e seu trabalho é hoje continuado, em uma organização que se chama "vida numa jarra" (life in a jar)
http://www.irenasendler.org/



MENSAGEM DO DIA
O que é isso?

Certa tarde, estavam pai e filho no pátio de casa, sentados em um banco embaixo de uma árvore. O filho lia concentrado o seu jornal, enquanto o pai contemplava a natureza. De repente um pequeno pássaro pousou à frente deles. O pai olhou atento e perguntou:

- O que é aquilo?

Então o filho tirou os olhos do jornal, olhou para o pássaro e respondeu:

- Um pardal.

O pai, continuando a olhar o pequeno pássaro, perguntou de novo:

- O que é aquilo?

E o filho novamente respondeu:

- Acabei de lhe dizer pai, é um pardal.

Quando o filho sacudiu o jornal para virar a página, o pássaro se assustou e voou para os galhos da árvore. Minutos depois, o pássaro pousou no chão e o pai questionou novamente:

- O que é aquilo?

O filho, já inquieto, respondeu com grosseria:

- Um pardal! UM PARDAL! Já lhe disse várias vezes, pai, é um PAR-DAL!

O pai, continuando a olhar o pequeno pássaro, pergunta mais uma vez:

- O que é aquilo?

Então o filho perdeu a paciência e, aos berros, respondeu:

- Por que o senhor está fazendo isso comigo, atrapalhando minha leitura? Por quê? Já lhe disse várias vezes que é um pardal, um pardal, que saco!

Nisso o pai se levantou calmamente e o filho, entre nervoso e curioso, perguntou:

- Aonde o senhor vai?

O pai entrou em casa. Logo depois, retornou com uma velha agenda em suas mãos. Procurou uma determinada página e a entregou ao filho, que começou a ler.

Nisso, o pai lhe ordenou:

- Leia em voz alta!

Então o filho começou a ler a agenda na página aberta pelo pai, que dizia:

- Hoje meu filho caçula, que há poucos dias fez três anos de idade, estava comigo no parque quando um pássaro pousou à nossa frente. Meu filho me perguntou 21 vezes o que era aquilo. E eu lhe respondi 21 vezes, com todo carinho, que era um pardal. E cada vez que ele me perguntava, eu respondia com toda alegria do meu coração, e o abraçava a cada pergunta sentindo-me feliz por perceber que a curiosidade daquele inocente criança demonstrava o quanto meu filho era inteligente!

Foi nesse instante que a ficha caiu e o filho largou seu jornal e abraçou seu velho pai, chorando!

Muitas vezes não temos paciência com nossos pais, achando que eles são chatos, caducos e só querem atrapalhar nossa vida. Esquecemos que foram eles que nos orientaram educaram, socorreram, investiram todo seu tempo, paciência e amor para que pudéssemos, um dia, sermos pessoas de bem. E hoje não temos tempo e nem paciência para tratá-los bem.




CÂNCER TEM CURA - POR FAVOR LEIA E ESPALHE ....... OBRIGADO.

É 10.000 vezes mais forte do que a quimioterapia e não querem que nós saibamos, pois caso contrário, as grandes cadeias iriam parar de VENDER MEDICAMENTOS !!!
O MAIS PODEROSO ANTI-CÂNCER DO PLANETA COMPARTILHEM...!

A graviola ou graviola árvore é um produto milagroso para matar as células cancerosas. É mais potente do que 10,000 quimioterapias.
Por que não está ciente disso? Porque há organizações interessadas em encontrar uma versão sintética, que lhes permite obter lucros fabulosos. Assim, a partir de agora você pode ajudar um amigo em necessidade, deixando-o saber que beber suco de graviola pode prevenir a doença. O seu sabor é agradável. E, claro, não produz os efeitos terríveis da quimioterapia. E se você tiver a chance de fazer, plantar uma árvore em seu quintal de graviola. Todas as partes são úteis.

A próxima vez que você quiser beber um suco, escolha o de graviola!!!
Quantas pessoas morrem enquanto este tem sido um segredo bem guardado para não por em risco os lucros multimilionários de grandes empresas? Como você bem sabe a gravioleira é baixa. Não ocupa muito espaço, é conhecido pelo nome de Graviola no Brasil, Guanabana em espanhol, e "Graviola" em Inglês.
O fruto é muito grande e sua polpa branca, doce, comida diretamente ou normalmente usado para fazer bebidas, sorvetes, doces etc... O interesse desta planta é devido a seus fortes efeitos anti-câncer.

E embora ele atribuída muito mais propriedades, o mais interessante é o efeito que produz sobre os tumores... Esta planta é um remédio para o câncer de todos os tipos. Alguns dizem que é muito útil em todas as variantes de cancro.
Considera-se também como um espectro de agente anti-microbiano largo contra infecções bacterianas e fúngicas, é eficaz contra parasitas internos e vermes, que regula a pressão sanguínea e combate o stress elevado, a depressão e distúrbios do sistema nervoso.

A fonte desta informação é fascinante: ela vem de um dos maiores fabricantes de medicamentos do mundo, que diz que depois de mais de 20 testes de laboratórios realizados desde 1970 extratos revelaram que: destrói as células malignas em 12 tipos cancros, incluindo o cólon, mama, próstata, pulmão, pâncreas entre outras ...

Os compostos desta árvore mostrou 10.000 vezes melhor ato na diminuição de células de cancro que o produto da adriamicina, um fármaco quimioterapêutico, tipicamente usado em todo o mundo.

E o que é ainda mais surpreendente: este tipo de terapia, com o extrato de graviola, só destrói células de câncer maligno e não afeta as células saudáveis.

Instituto de Ciências da Saúde, L.L.C. 819 N. Charles Street Baltimore, MD 1201.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014


Bolinho de arroz e batata recheado de queijo

Ingredientes
. 2 xícaras (chá) de arroz cozido
. 2 batatas grandes cozidas e amassadas
. 1 ovo
. 2 colheres (sopa) de queijo ralado
. 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
. Sal e pimenta a gosto
. Salsa picada a gosto.

Recheio: 150 g de queijo mussarela ou prato cortado em cubos

Modo de preparo
Em uma tigela misture o arroz, a batata, o ovo, o queijo ralado, o sal, a pimenta, a salsa e o fermento. Separe pequenas porções, recheie com o queijo e modele o bolinho com o auxílio de uma colher. Frite no óleo bem quente até dourar. Escorra e sirva logo em seguida.

Dica: Depois de fritar deixe os bolinhos sobre papel toalha, para eliminar o excesso de gordura.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Picolé funcional, a novidade refrescante e saudável deste verão

As versões tradicionais estão perdendo espaço para misturas nada convencionais e curiosas como melancia com chá de hibisco, manga com cenoura ou kiwi com couve mineira

Uma das melhores novidades deste verão chegou no palitinho. Os chamados picolés funcionais oudetox vêm fazendo sucesso entre as mulheres que buscam alternativas de receitas mais saudáveis e nutritivas. As versões tradicionais estão perdendo espaço para misturas nada convencionais e curiosas como melancia com chá de hibisco, manga com cenoura ou kiwi com couve mineira.
De acordo com a nutricionista clínica funcional Cristhiane Tozzo, os picolés funcionais surgiram graças a gastronomia funcional que cria e adapta as receitas para oferecer mais benefícios para a saúde. Por esta razão, as versões funcionais são muito mais saudáveis e menos calóricas do que as versões tradicionais.
Cristhiane esclarece que podem eles contribuir para o emagrecimento, o bronzeado, o ganho de massa muscular e até para a prevenção da celulite. "A principal vantagem desses picolés é a ausência de corantes e do excesso de açúcar. Além disso, fazendo em casa é possível adequar a receita às suas preferências e ao benefício que procura", explica Cristhiane Tozzo.
Para emagrecer basta incluir chás ou alimentos termogênicos no seu picolé, como chá verde, chá de hibisco, gengibre, canela ou pimenta, que ajudará na queima calórica. Se a intenção é cuidar da pele, a dica é incluir alimentos antioxidantes, como frutas vermelhas, amarelas e alaranjadas. Já quem pratica uma atividade física regular pode misturar no seu picolé o suplemento indicado pelo seu nutricionista e associar nutrientes que melhoram a recuperação muscular.
A especialista esclarece que os picolés detox ou funcionais, assim como os sucos, servem para complementar a ingestão de alimentos ricos em nutrientes que favorecem o trabalho do organismo na eliminação das toxinas. Não funcionam isoladamente e devem ser consumidos dentro de um cardápio saudável e variado.
Cristhiane Tozzo conta que costuma fazer picolés caseiros de diferentes sabores para a família e amigos. Ela costuma escrever nos palitos o nome dos filhos e dos convidados ou apenas palavras e desejos para alegrar e descontrair.
Para quem não tem tempo de preparar os picolés em casa, há opções de marcas no mercado que prometem versões com apenas 44 calorias e sem a presença de conservantes, glúten, saborizantes ou gordura trans. É o caso do picolé de manga com cenoura, da marca de Sorvetes Rochinha. A nutricionista Débora Lopes garante que a cor do picolé vem unicamente das frutas e da cenoura. "Somos reconhecidos por nossos produtos 100% naturais e com 0% de gordura", ressalta a representante da marca.
Veja receitas de picolés funcionais indicadas pela nutricionista

Getty Images

Viajar para o exterior é o desejo de muitos brasileiros e o fluxo de passageiros para fora do Brasil aumenta ainda mais no período de férias. Se você está planejando uma viagem para outro país, não deixe de conferir as dicas que o Yahoo! preparou para garantir que não haverá stress na hora de despachar suas malas ou embarcar com sua bagagem de mão. Confira alguns itens que possuem restrições para serem transportadas em voos internacionais e aproveite ainda mais sua viagem!

Leia também:
Canadá tenta explicar caso de jovem que quase embarcou com bomba em avião
Mulher é presa nos EUA após abandonar jacaré em aeroporto
Higiene Pessoal
Qualquer produto líquido, em gel ou em pasta só pode ser levado na bagagem de mão caso seu frasco não exceda o volume de 100ml (mesmo que esteja parcialmente cheio). Além disso, deve ser conduzido em uma embalagem plástica transparente de até 1 litro. Fique atento, portanto, ao carregar consigo desodorante, gel para cabelo, shampoo etc. 
Objetos cortantes ou perfurantes Itens como canivetes, tesouras e facas devem ser transportados na bagagem despachada. Em nenhuma hipótese esses objetos podem ser transportados na bagagem de mão.

Produtos do Free Shop
 
Uma viagem ao exterior nunca será completa sem aquela passagem pelo Free Shop, paraíso dos perfumes, bebidas, roupas e eletrônicos. Para ter a certeza de que você não terá problemas com suas compras, a dica é verificar se elas estão embaladas em sacola selada e acompanhadas das notas fiscais. Se for fazer uma conexão, consulte a empresa aérea para saber se há a possibilidade de retenção do produto por autoridades estrangeiras.

Medicamentos

Somente são permitidos com prescrição médica contendo o nome do passageiro e mediante apresentação da receita no momento do raio-X. É recomendável manter os medicamentos em suas embalagens originais, facilitando a identificação por parte das autoridades.
Plantas e Animais Nativos
É preciso ter registro do Cadastro Técnico Federal do Ibama e obter uma Licença para importação ou exportação de flora e fauna. Ambos serviços estão disponíveis no site do Ibama, dentro da opção Serviços. Existe uma taxa a ser paga para que a licença seja emitida. A Portaria nº 93 de 1998 libera os animais domésticos, como cães e gatos, dessa autorização. Deve-se também verificar as exigências fitossanitárias ou zoossanitárias do país de destino.

Animais e plantas em perigo de extinção de acordo com a CITES - Convenção sobre o Comércio internacional de espécies da Flora e Fauna selvagens em Perigo de extinção dependem de uma licença específica. Produtos que contenham partes de animais de espécies silvestres nativas ou exóticas também exigem licença do Ibama.

Sair do Brasil com animais vivos implica em verificar quais os requisitos sanitários exigidos pelo país de destino e solicitar a emissão do Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) pelo fiscal federal agropecuário médico veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).
Mais informações
Para saber mais sobre as restrições de bagagem em voos internacionais, acesse as publicações da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil Bagagem - Dicas ANAC e Guia do Passageiro. Boa viagem!

ThinkStock

Egípcias se unem contra rito da mutilação genital, que atinge 80% delas

Imane Rachidi.
Cairo, 6 fev (EFE).- As mulheres egípcias se uniram contra a mutilação genital feminina para sensibilizar o país sobre um costume nocivo que continua a ser praticado pelas costas das autoridades e que muitos justificam como um dever religioso.
Uma campanha lançada por várias organizações egípcias, em lembrança à celebração nesta quinta-feira do Dia Internacional da Tolerância Zero Contra a Mutilação Genital Feminina (também chamada de ablação), pretende erradicar de uma vez por todas dramas como o vivido pela jovem Wafae Abdel-Rahman.
"Eu não quero que minhas filhas passem pelo que eu sofri. Isso, se algum dia tiver filhos, porque tenho medo ter relações sexuais com o homem com o qual me casei, acho que não conseguirei cumprir meu papel de esposa com ele", lamentou Wafae em entrevista à Agência Efe.
Wafae, hoje uma mulher de 26 anos, teve que passar, pelas mãos de um parente médico, pela extirpação dos genitais externos quando era uma adolescente de 14 anos, porque sua mãe os considerou "muito grandes".
Apesar de viver com medo do que sentirá quando se ver "nua diante de um homem", como ela mesma explicou, relatou com firmeza todo o processo que foi obrigada a viver.
"Lembro como meu pai dizia para minha mãe que não era preciso praticar a ablação, que ainda era pequena e não era necessário, mas ela o mandou ficar quieto, se dirigiu ao médico e ordenou sem remorsos: 'Corte'", contou Wafae, que confessou odiar seu corpo que, diz, ficou destroçado desde aquele dia.
O Centro Canal para Estudos de Formação e Pesquisa é o responsável, junto com outras associações civis egípcias, por esta campanha, que considera inconcebível que o Egito seja um dos países com maior número de mutilações genitais no mundo.
"Queremos que as mulheres falem e contem suas histórias, temos dezenas de meninas que contam sua experiência por diferentes cidades do país porque é preciso deixar claro que não há nenhum texto religioso que defenda a mutilação genital feminina", advertiu Omnia Arki, porta-voz da ONG.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o dia 6 de fevereiro como o Dia Mundial da Tolerância Zero contra a Mutilação Genital Feminina, por considerar essa prática "nociva e uma violação dos direitos básicos das meninas e das mulheres".
No Egito já há leis que penalizam a ablação, mas "isso não será útil até que se consiga sensibilizar as pessoas que vivem arraigadas a essas crenças", disse Tareq Anis, presidente da Sociedade Pan-Árabe de Medicina Sexual e professor de sexologia na Universidade do Cairo.
Em junho de 2008, por causa da morte de uma adolescente que sofreu complicações após ser submetida à mutilação genital, a prática passou a ser crime previsto no Código Penal egípcio com penas de prisão de três meses a dois anos de prisão, e multas de até US$ 800.
"Passei três dias com as pernas abertas, sem conseguir me mexer, e ainda hoje lembro perfeitamente como foi esse momento. Me afetou sexual, emocional, social e pessoalmente, e principalmente a minha relação com os outros", lembrou Wafae.
Os dados indicam que a prática começa a diminuir entre meninas e mulheres da nova geração, mas os especialistas se queixam que o número continua sendo muito alto e pedem que se sensibilize sobre esta prática cultural, e não religiosa, advertem.
"Ainda há gente que pensa que isto é algo religioso e não é assim, é questão de cultura e de tradição. No Egito é praticada por muçulmanos e cristãos, enquanto na Arábia Saudita, Indonésia ou Malásia, certamente nem nunca ouviram falar sobre mutilação genital feminina", explicou Anis.
O sexólogo acrescentou que, até pouco mais de três anos, o número de mulheres que sofria a ablação chegava aos 98% no Egito, mas hoje, garante, já se pode falar em 80%.
Os especialistas estão de acordo que a regulação da prática deve ser acompanhada de educação sobre as graves consequências da mutilação genital, que reduz o desejo sexual das mulheres e não tem nenhuma utilidade médica.
Os últimos dados oficiais, de 2008, comprovam que 91,1% das mulheres com idades entre 15 e 49 anos sofreram a amputação do clitóris, o que deixa o Egito em quarto lugar entre os 29 países que realizam habitualmente a prática.
Estes números apavorantes acompanham a denúncia de Wafae, que ainda tem "medo das relações sexuais quando as tiver. Tenho pesadelos porque não saberei como me comportar, como ser com meu marido, tenho medo do fracasso em minha vida amorosa". EFE