quinta-feira, 26 de maio de 2011


Um casal, recém casados, mudou-se para um bairro muito tranquilo.
Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:
- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!
Provavelmente está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
O marido observou calado.
Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:
- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passado um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis brancos, alvissimamente brancos, sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:
- Veja ! Ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha ensinou !? Porque , não fui eu que a ensinei.
O marido calmamente respondeu:
- Não, é que hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!
E assim é.
Tudo depende da janela através da qual observamos os fatos.
Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir; verifique seus próprios defeitos e limitações.
Devemos olhar, antes de tudo, para nossa própria casa, para dentro de nós mesmos.
Só assim poderemos ter real noção do real valor de nossos amigos.
Lave sua vidraça.
Abra sua janela.
"Tire primeiro a trave do seu olho, e então verás claramente para tirar o cisco do olho do teu irmão" (Mateus 7:5) 

terça-feira, 24 de maio de 2011

ANSIEDADE: Angústia, incerteza aflitiva
DEPRESSÃO:  Abatimento moral e físico
Segundo pesquisas, a depressão atinge mais de 20% da população mundial.
A Palavra de Deus trata do assunto. O Senhor Jesus Cristo, no sermão da montanha, fez a seguinte recomendação: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto o que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto o que haveis de vestir”. Mateus 6.25a (ara). Certamente o Médico dos médicos, sabia que a ansiedade, acabaria num processo depressivo, provocando assim, profundo abatimento moral e físico. No mundo em que vivemos, sofrendo pressões de todos os lados, às vezes a ansiedade bate a nossa porta. A ansiedade, aparece de inúmeras formas; regra geral, vem atrás do condicional “se” e do “futuro”. Se eu perder o emprego amanhã? se o meu cônjuge me deixar? se o meu filho se tornar um drogado? se eu não conseguir pagar minhas dividas? se eu contrair uma doença grave? se eu morrer amanhã? se quando me aposentar o dinheiro não for suficiente? se eu for assaltado?, enfim são muitas as situações envolvendo o “se” e o “futuro”. Quando estes pensamentos vierem, devemos seguir confiantemente o conselho do apóstolo Pedro: “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”. I Pedro 5.7 (ara). Entreguemos a Deus a nossa ansiedade e livremo-nos de cair em depressão.
PARA REFLETIR: Estou vivendo ansiosamente?