quinta-feira, 20 de setembro de 2012



E tempo de oração e intercessão!
Até na morte por apedrejamento o Irã dos aiatolás consegue ser mais brutal com as mulheres. Os homens, enterrados na areia até a cintura, ficam com os braços livres para proteger o rosto. Nem isso será permitido a Sakineh Mohammadi Ashtiani, viúva de 43 anos, já punida com 99 chibatadas e agora à espera do ritual instituído em 1983. O Código Penal determina que as mulheres sejam enterradas até a altura do busto, com as mãos amarradas por cordas e o corpo enrolado num tecido branco. Não podem sequer defender-se das pedras atiradas a curta distância sob o olhar da multidão reunida na praça.

O grupo de executores, liderado pelo juiz que assinou a sentença, inclui os jurados que ordenaram a condenação, parentes da vítima, figurões da comunidade e voluntários anônimos. Todos são homens: no Irã, mulheres não apedrejam; só podem ser apedrejadas. Para que a plateia não se sinta frustrada pela morte rápida, as pedras que circundam o alvo são pequenas. O juiz atira a primeira. A agonia que se encerra com o traumatismo craniano não dura menos que uma hora
 — com Ieda Alves Carvalho.




















A quem Enviarei! Quem irá por nós?

Assim como uma gota de veneno compromete um balde inteiro, também a mentira, por menor que seja, estraga toda a nossa vida.

Você já imaginou como seria ser preso por carregar sua Bíblia e praticar sua fé?.
.
Habiba Kouider está presa na Argélia há quase quatro anos. Seu crime?Ela aceitou Jesus como seu único senhor e salvador pessoal.Foi sentenciada a três anos de prisão por praticar sua fé "sem licença", após ter sido atuada em flagrante no dia 16 em Março de 2008.Segundo os policiais ela portava várias bíblias e livros cristãos.Ela e a família precisam de nossas orações! Lembre-se: ''Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela. Se uma é elogiada, todas as outras se alegram com ela.'' (1 Coríntios 12:2).
EM DEFESA DOS CRISTÃOS PERSEGUIDOS - Carta de uma cristã do Afeganistão destinada à Igreja Livre.

São Paulo, novembro de 2011.


Querido irmão da Igreja Livre,.

Pare por um instante e dê um singelo olhar para dentro do nosso mundo:

Em regiões dominadas pelo Talibã, há muita pressão sobre as mulheres. Exceto para gerar filhos, satisfazer as necessidades sexuais dos homens ou fazer o trabalho enfadonho da casa, as mulheres não têm nenhuma importância aos olhos de seus maridos ou da sociedade.

É absolutamente proibido às mulheres andar nas ruas sem a companhia de um mahram, que pode ser um pai, irmão ou marido.

É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que não estiverem usando as roupas adequadas, a burca, ou que estejam agindo em discordância com o que o marido desejar, com o que profeta Maomé ensinou, ou ainda que esteja sem seu mahram.

Até perante nossos filhos homens somos desconsideradas; dizem que temos menos inteligência, por sermos mulheres, Se o meu filho disser para o pai que não fez nada de errado, e eu disser que sim, prevalecerá a palavra do menino, porque o testemunho de uma mulher equivale à metade do testemunho de um homem.

Todos os lugares públicos com a palavra "mulher" são mudados, por exemplo: "o jardim da mulher" deve passar a se chamar "jardim da primavera".

Mulheres são proibidas de usar os banheiros públicos (a maioria de nós não tem banheiro em casa). ônibus públicos são divididos em dois tipos, para homens e mulheres.

É proibido às mulheres cantar. São tantas as proibições, mas ...

Conheça também a nossa fé em Cristo Jesus.

Saiba de nossa alegria ao bordar cada marca página com a Cruz que nos traz libertação.

Partilhe da alegria de sabermos que, com nossas mãos, pudemos realizar e ir além do que esperam de nós. De chegarmos até você ai do Brasil e agradecermos por suas orações e doações.

Enfrentamos mais dificuldades do que as outras mulheres devido à fé que escolhemos , mas temos perseverado por causa da sua ajuda!.

Receba o nosso amor. E, por favor, ore por nós, mulheres do Afeganistão, para que milagres continuem acontecendo.

Em nome dos cristãos perseguidos, muito obrigada
.

Testemunho contagiante de uma norte coreana no III Congresso Lausanne.
O ponto alto do primeiro dia do III Congresso Lausanne na Cidade do Cabo acabou por ser um testemunho de uma menina de 18 anos, Kyung Sung Ju. Ela contou como ela e sua família fugiu da Coreia do Norte quando tinha seis anos de idade. Na China, os parentes a levaram uma igreja onde estavam expostos ao cristianismo. Mas o pai dela, que era um oficial norte-coreano, foi violentamente enviado de volta para a Coréia do Norte em 2001.

Depois de passar três anos na prisão, ele foi autorizado a voltar para sua família na China. Desta vez, porém, ele voltou para a Coréia do Nortevoluntariamente - a fim de testemunhar o Evangelho. Em 2006, ele foi capturado e preso, e sua família não tinha ouvido falar dele desde então. Ela pensava que seu pai havia sido executado.

Kyung Sung Ju se tornou cristã quando viu Jesus em um sonho. Ela agora espera para estudar diplomacia, para que finalmente possa desempenhar um papel na reconciliação a Cristo do país que ama. "Eu quero levar o amor de Deus para a
 Coreia do Norte", ela disse, com voz embargada.

Seu depoimento choroso, obviamente, contagiou o auditório. Ela recebeu uma ovação que durou tanto tempo, que ela foi chamada de volta para a plataforma para receber carinho.
Alguns levantaram dúvidas sobre se o Congresso Cidade do Cabo 2010 iria perder o foco do movimento Lausanne sobre evangelismo em favor de preocupações com justiça social. Aparentemente não, se a resposta do público a este testemunho da norte coreana for considerada uma pista
.

Fonte Cristianity Today.
.
Testemunho de uma jovem norte coreana, a respeito de sua família e chamado, durante o Congresso Lausanne III em Cape Town, Africa do Sul.
http://youtu.be/ZAzs7SLTZ1Q
Índia
ore, interceda, ajude a Evangelizar!


O dote gera outro tipo de crime infelizmente muito comum: o assassinato de noivas. Uma estatística de 2008 de um escritório nacional de dados sobre crime (NCBR) diz que 8.172 mulheres foram assassinadas naquele ano, vítimas do crime do dote. A maioria dos casos, entretanto, não é sequer reportada à polícia, é tomada como acidente – como jogar uma panela de óleo e tacar fogo enquanto “ensina” a nova nora a cozinhar. Tão triste e comum que existe até um jogo no Facebook para conscientizar o povo, mostrar que as noivas são boas pessoas e podem te fazer bem. Ou seja, por isso você não deveria cobrar uma fortuna para se casar, ou muito pior, matá-las. ¬¬

A mulher é tão desvalorizada que, na estação de esqui que visitamos no final de semana, o seguro para o caso de acidentes é assim: 1 milhão de rúpias para mulheres, 5 milhões de rúpias para homens. Apesar de atualmente as mulheres trabalharem tanto quanto os homens e estarem nas empresas ocupando cargos equivalentes, elas ainda são vistas inferiormente.











É contra a lei. Uma lei que existe para evitar uma taxa assustadora de infanticídio feminino, conforme pesquisei para escrever este post. A Índia matou mais de 10 milhões de bebês mulheres nos últimos 20 anos. O estado onde vivemos, Punjab, no nordeste do país, tem a maior taxa de nascimento de homens versus mulheres da Índia e supera até mesmo as conhecidas taxas chinesas.

Segundo o Censo Indiano de 2011, a taxa de nascimento de meninas em relação à de meninos nascidos é de 914 para 1000. Segundo o jornal The Times of India, isso significa que para cada 1000 meninos entre 60-70 meninas menores de seis anos são mortas. Ainda segundo o jornal, a diferença de nascimentos entre homens e mulheres é mais discrepante nas áreas mais ricas e com maior índice de educação.

Olha, eu sei que esse é um blog de viagem. Mas para falar das diferenças entre homens e mulheres na Índia, tema que penso em escrever desde que pisei neste país, é preciso conhecer esses dados tristes.












será que você pode orar pela india?

você ja orou diretamente pela india alguma vez?

A cada dia, três mulheres dalits são estrupadas (uma parte é depois queimada até a morte, como se a culpa pelo estupro fosse dela mesma);

# A cada hora, em média, duas casas de dalits são queimadas;

# A cada hora, dois dalits são assaltados;

# 60 milhões de Dalits são explorados através de trabalhos forçados.

# 66% dos dalits são analfabetos;

# A taxa de mortalidade infantil dos dalits é perto de 10%;

# 57% das crianças dalits de menos de quatro anos de idade estão muito abaixo do peso;

# Na Índia de hoje existem 300 milhões de dalits;

* Fonte: Organização Internacional Dalit Awakaning.



















Olhem Isso, Leiam!


Ritu tinha passado toda a gravidez desejando ter um menino, como todas as mulheres da Índia. Nove meses imaginando as festas e as cerimônias que anunciavam o nascimento de um herdeiro, nove meses rezando aos deuses para que não fosse menina. O nascimento de uma menina era sempre uma desgraça, um mau presságio para a família, alguns acreditavam. Os parentes e vizinhos se aproximavam da casa compungidos, para desejar-lhes "boa sorte da próxima vez". Uma menina era um fardo até que fosse possível casá-la. Ritu demorou muito a ficar grávida de novo. Finalmente, cinco anos depois, Sita nasceu.
As súplicas e as pujas não serviram de nada dessa vez: outra menina nasceu. Uma vizinha que ajudara no parto sugeriu afogá-la num balde de água imediatamente. No campo, muitas recém-nascidas eram sacrificadas em poucos minutos pelo bem de todos. Mas Nadira, a filha mais velha do marido de Ritu, impedira-o.
 

Tristeza: A Falta de Liberdade
 Na Índia
Na verdade, a luta de uma menina para sobreviver começa no útero devido a um desejo irresistível por filhos homens e o medo do dote, o que resultou no aborto de 12 milhões de meninas ao longo das últimas três décadas, de acordo com um estudo de 2011 feito pela The Lancet. Isto levou a um declínio no número de mulheres em proporção aos homens em muitas áreas, resultando em um aumento no número de estupros, tráfico humano e, em certos casos, práticas como compartilhamento de mulher entre irmãos.

Na verdade, a maldição do dote continua mesmo depois do casamento. Uma noiva foi assassinada a cada hora por causa de exigências de dote em 2010, segundo a Agência Nacional de Estatísticas de Crimes. Algumas mortes são por "queima no fogão", com os sogros derramando querosene, o combustível de cozinha de uso comum nos lares mais pobres, sobre as mulheres e ateando fogo nelas, fazendo parecer acidental.

"Os tribunais estão inundados com casos de crimes relacionados ao gênero", disse o juiz aposentado do Supremo Tribunal Markandey Katju. Segundo ele, os assassinatos de honra e dote deveriam ser punidos com a morte. "Estes não são crimes normais. Estes são crimes sociais porque interrompem todo o tecido social da comunidade. Quando você comete crimes contra as mulheres, tem um impacto duradouro."

Especialistas dizem que o casamento infantil continua sendo um dos maiores obstáculos para o desenvolvimento das mulheres na Índia e tem um efeito dominó. Quase 45 por cento das meninas indianas se casam antes de completar 18 anos, segundo o Centro Internacional de Pesquisa sobre a Mulher.

Duas índias

As autoridades indianas também têm dificuldades para combater crimes crescentes contra as mulheres, incluindo a violência doméstica, abuso sexual, tráfico e estupro. Relatos de mulheres apanhando na rua e estupradas em carros em movimento são frequentes em Nova Délhi e nos arredores. Reportagens de jornais estão cheias de histórias de exploração e tráfico sexual. Em muitos casos, a violência contra as mulheres tem um nível de aceitabilidade social. Uma pesquisa do governo descobriu que 51% dos homens indianos e 54% das mulheres justificavam o espancamento da esposa.
A Índia tem leis de gênero robustas, mas elas são mal aplicadas, em parte porque uma mentalidade feudal é prevalescente entre os burocratas, magistrados e policiais tanto quanto em outros lugares. Os políticos também não estão dispostos a acabar com preconceitos habituais contra as mulheres por medo de perder votos conservadores.
"A lei da herança foi reformada em 2005, trazendo igualdade jurídica para as mulheres em terras agrícolas. Na realidade, porém, menos de 10% das mulheres possuem algum tipo de terra", disse Govind Kelkar, do grupo de direitos da terra Landesa India. "Isso é mais gritante porque 84% das mulheres rurais estão engajadas na produção agrícola. Há um silêncio político sobre a implementação de leis de direitos das mulheres."
Alguns ganhos estão sendo feitos, principalmente, instituindo leis e regimes sociais sensíveis ao gênero, bem como aumentando o número de meninas em escolas primárias, na força de trabalho e na política das aldeias, dizem especialistas. Mais de duas décadas de liberalização econômica também ajudaram a capacitar as mulheres, e desde que a Índia se abriu, as ideias ocidentais de igualdade têm permeado as cidades.
O principais cargos políticos do país são ocupados por mulheres, incluindo a chefe do principal partido no poder, Sonia Gandhi, e a presidente em saída, Pratibha Patil. "Há duas Índias: uma onde podemos ver mais igualdade e prosperidade para as mulheres, mas uma outra onde a grande maioria das mulheres está vivendo sem escolha, sem voz ou direitos", disse Sushma Kapoor, vice-diretora no Sul da Ásia para a ONU Mulheres.
Especialistas em gênero dizem que os desafios são imensos, dada a imensa população da Índia de 1,2 bilhão, sua diversidade e dispersão geográfica. Mas eles acrescentam que eles não são insuperáveis.


Conte o seu testemunho:



Pessoinha linda Conte o seu testemunho que

 terei o prazer em publica-lo! 

VENHO NESTA TARDE COM MUITAS LAGRIMAS NOS OLHOS MAS NÂO SÂO DE TRISTEZA MAS SIM PARA AGRADECER A TODOS QUE FIZERÂO ORAÇÂO POR MIM MUITOS ME DERAN FORÇAS EM DOPOIMENTOS NO BATE PAPO E TAMBEM POR SCRPS  POIS O NOSSO DEUS ME LIBERTOU DA MINHA ENFERMIDADE PELOS MEDICOS EU IRIA FAZER UM TRANSPLANTE MAS CONFIEI ACREDITEI COLOQUEI MINHA FÉ ACIMA DE TUDO EU TINHA UM FIGADO TODO DEFORMADO PELOS VIRUS DA EPATITE C CRONICA  COMO MUITOS JA SABEM MAS NOSSO DEUS E MUITO FIEL HOMTEM EU RECEBI A NOTICIA DOS MEDICOS EU TENHO UM FIGADO NOVO DENTRO DE MIM DEUS ME LIBERTOU OS MEDICOS ESTÂO CONFUDIDOS NÂO ACREDITÂO QUE ISTO ACONTECEU E ME PERGUNTÂO O QUE FOI QUE EU FIZ SO RESPONDO EU SOU UMA SERVA DE DEUS FIEL  O MEU DEUS PROMETEU E CUMPRIU QUE DEUS ABENÇOE A TODOS ESSE E MEU TESTEMUNHO ESPEREI COM FÉ E MEU DEUS ME A VITORIA GLORIA A DEUS ALELUIAS SANTO  SANTO  SANTO E SEU NOME O REI DA GLORIA  JESUS ESPIRITO SANTO DEUS SEJA PARA SEMPRE LOUVADO !!!                               
                                          Enviado por:  Ines

Um comentário:

  1. Tenho acompanhado o seu trabalho , acho maravilhoso, mulher mesmo guerreira de Jeová, sei de suas lutas , mas Deus é contigo , vou dar o meu testemnho para você muito em breve,

    ResponderExcluir