terça-feira, 24 de dezembro de 2013



Natal o que é realmente!

Natal, uma festa de falsidades.

Esse dia para mim é só mais um dia normal, uma data comum. Já para outros é um dia especial, onde marca o "nascimento do Salvador". Pouco sabem que tudo não passa de uma invenção.

Não quero ser estraga prazer ou um chato, mas tenho de dizer, SEU NATAL NÃO PASSA DE UMA FESTA PAGÃ, festa essa que é comemorado para o "deus" sol.

Além disso tudo, o natal também é uma das festas que tudo é ao contrário. Certo que a comemoração é pagã, mas mesmo assim ninguém lembra do suposto homenageado, só se lembram de comprar roupas, de qual lugar irão fazer suas comilanças e de suas aparências. Fora as promiscuidades, bebedeiras e mortes. Que jeito hein, de comemorar o nascimento de seu "salvador".

O Mashiach não poderia ter nascido nesta data, pois em Israel é inverno e dificilmente pessoas peregrinam nesta época. Os pais do Mashiach estavam a caminho de 
 Belém, próximo a Jerusalém, o que só ocorria em duas ocasiões — no aniversário da segunda cidade e na Festa dos Tabernáculos, ou Sucot, a festa das colheitas do povo judaico. 

Os indícios apontam que o nascimento teria acontecido na segunda ocasião. Russel Shedd constatou em seus estudos para a tese de doutorado que o nascimento se deu em outubro, durante a festividade, considerando os turnos de sacerdócio de Zacarias, pai de João Batista, primo de YahuhShuah (chamado de Jesus).

“Ele nasceu na época da Festa dos Tabernáculos, em outubro. Seu nascimento pode ser calculado assim: Zacarias exercia seu turno em julho (Lc. 1:5,8) por ser do turno de Abias, o oitavo turno do ano eclesiástico que começava em março (I Cr. 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista, (Lc. 1:23-24), que nasceu, pois em abril do ano seguinte. O Mashiach nasceu seis meses mais tarde, (Lc. 1:26), portanto em plena Festa dos Tabernáculos.”

O nascimento de Mashiach só passou a ser atrelado a essa data quando, por uma questão política, o imperador romano Constantino procurou resgatar a unidade religiosa do povo que governava.

Constantino aproveitou a difusão do cristianismo para controlar o império. Foi ele que estabeleceu os costumes e rituais da Igreja Católica Romana, criada no Concílio de Nicéia em 325 d.C., passando o dia de celebração do sábado para o domingo e “criando” o Natal cristão. Além disso, a Igreja Romana assimilou muitos costumes de outros povos que o império dominava, como conta Henry Bettenson em seu livro Documentos da Igreja Cristã.

O que ocorre é que em outras culturas, anteriores ao Mashiach (Cristo), 25 de dezembro era marcado como o dia do nascimento de deuses, geralmente ligados ao Sol. Na definição da Enciclopédia Barsa, o Natal é uma data “fixada no ano de 440, a fim de cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste dia”.

O povo realmente perece por falta de conhecimento, por falta de estudos e por confiarem de olhos fechados nesses MENTIROSOS líderes religiosos.

Até quando o povo irá se render a tudo isso? Para essas festas de ÍDOLOS que não têm nada haver com o verdadeiro MASHIACH.

Que a luz do conhecimento do Altíssimo pouse sobre sue coração e em sua mente.

Já se completou 1 ano que entramos na era de aquários, à nova era.

À Era de aquário é a tão famosa NOVA ERA, onde tudo se faz "novo", onde valores, normas e regras são trocados. No dia 21 de dezembro de 2012 entramos nessa NOVA ERA. Não foi tão visível no físico, mas no mundo espiritual sim. Hoje já se completa 1 ano de instalação dessa nova era.

À nova era não é comandada por foçar humanas e sim ESPIRITUAIS, da parte dos ex-mensageiros ou hoje os anjos caídos, pois Malach em hebraico é MENSAGEIROS ou PORTA VOZES, de YAHÚH (que é conhecido no Brasil como Deus). Não foi e nem é atoa que nesse ano presenciamos muitas coisas, como o caos, comandado pelos globalistas, usando seus capachos, os black blocs, e não só no brasil, mas em todos os cantos do mundo.

Também há os casos dos movimentos gayzistas, abortistas e comunistas.

O cenário para surgir o engano está armado, como por exemplo, fomos condicionados a acreditar nos aliens de Hollywood, então se caso a elite quiser usar esse engano mundialmente (usando o projeto Blue Beam), muitos nem irão se chocar, apenas irão se impressionar.

Isso é só um dos exemplos.

Entramos numa era em que o anti-mashya (ou anti-cristo) pode entrar em cenário mundial a qualquer momento, isso é questão de tempo.....
A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou um novo logotipo com a estátua de Oscar.
A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou um novo logotipo com a estátua de Oscar.

Não se envolva com o Ocultismo é perigoso!
Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.Foto de Bianca Marina.

Feliz natal uma que nada!  - festa pagã. Por: Lado Oculto - Nova Ordem Mundial Ao contrário do que muitos pensam o natal não é uma festa bíblica. A prática de festejar o natal foi introduzida na igreja em fins do século IV. A palavra natal em inglês é christmas, a união de duas palavras, christ e mass que significa missa de Cristo ou missa de natal. O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a saturnália e o solstício de inverno, em adoração ao deus-sol, o sol invictus. O deus-sol é muito provavelmente, uma indicação de Ninrode mencionado em Gênesis 10:8-10. Este festival de inverno era chamado a natividade do sol. A festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro. Saturnália é referente a saturnal, do latim saturnale, indica o deus saturno ou as festas em sua honra. Solstício vem do latim solstitiu. Época em que o sol passa pela sua maior declinação boreal ou austral, e durante a qual cessa de afastar-se do equador. Os solstícios situam-se, respectivamente, nos dias 22 ou 23 de junho para a maior declinação boreal, e nos dias 22 ou 23 de dezembro para a maior declinação austral do sol. No hemisfério sul, a primeira data se denomina solstício de inverno e a segunda solstício de verão; e, como as estações são opostas nos dois hemisférios, essas denominações invertem-se no hemisfério norte. A árvore de natal também tem suas origens no paganismo. Segundo uma fábula babilônica, um pinheiro renasceu de um antigo tronco morto. O novo pinheiro simbolizava que Ninrode tinha vindo a viver novamente em Tamuz. Entre os druidas o carvalho era sagrado. Entre os egípcios era a palmera, e em Roma era o abeto, que era decorado com cerejas negras durante a saturnália. O deus escandinavo Odim era crido como um que dava presentes especiais na época de natal àqueles que se aproximassem de seu abeto sagrado. Em inúmeras passagens bíblicas a árvore é associada a idolatria e a adoração falsa: Porque também os de Judá edificaram altos, estátuas, colunas e postes-ídolos no alto de todos os elevados outeiros, e debaixo de todas as árvores verdes (I Rs.14:23). Não estabelecerás poste-ídolo, plantando qualquer árvore junto ao altar do Senhor teu Deus que fizeres para ti (Dt.16:21). Portanto a árvore de natal recapitula a idéia da adoração de árvore, sendo que castanhas e bolas simbolizam o sol. (WOODROW, Ralph. Babilônia A Religião dos Mistérios). Anúncio do anjo Gabriel e nascimento de Yahushua (Conhecido como Jesus) O nascimento de Yahushua se deu por volta de dois anos antes da morte do rei herodes, denominado “o grande”, ou seja, considerando que este morreu em 4 aec, então Yahushua só pode ter nascido em 6 aec. Segundo as escrituras, antes de morrer, herodes mandou matar os meninos de Belém com até aos 2 anos de idade, de acordo com o tempo que apareceu a “estrela” aos magos. (Mateus 2:1, 16-19 – era seu desejo se livrar de um possível novo “rei dos Yahudim (judaicos)”). Ainda, segundo as escrituras, antes do nascimento de yahushua, octávio césar augusto decretou que todos os habitantes do império fossem se recensear, cada um à sua cidade natal. isso obrigou José a viajar de nazaré (na galiléia) até belém (na judeia), a fim de registrar-se com Maria, sua esposa. Deste modo, fica claro que não seria um recenseamento para fins tributários. Este primeiro recenseamento fora ordenado quando o cônsul públio sulplício quiríno era governador [em grego hegemoneuo] da província imperial da síria. (Lucas 2,1-3 – o termo grego hegemoneuo vertido por “governador”, significa apenas “estar liderando” ou “a cargo de”. Pode referir-se a um “governador territorial”, “governador de província” ou “governador militar”. As evidências apontam que, nessa ocasião, Quiríno fosse um comandante militar em operações na província da síria, sob as ordens diretas do imperador.) Sabe-se que os governadores da província da síria durante a parte final do governo do rei Herodes foram: Sentio Saturnino (de 9 aec a 6 aec), e o seu sucessor, foi Quintilio varo. Quirínio só foi governador da província da síria, em 6 ec. o único recenseamento relacionado a Quirínio, documentado fora dos evangelhos, é o referido pelo historiador judeu Flávio Josefo como tendo ocorrido no início do seu governo (antiguidades judaicas, vol. 18, cap. 26). obviamente, este recenseamento não foi o primeiro. A viagem de Nazaré a Belém – distância de uns 150 km – deveria ter sido muito cansativa para Maria, que estava em adiantado estado de gravidez. Enquanto estavam em Belém, Maria teve o seu filho primogênito. Envolveu-o em faixas de panos e o deitou em uma manjedoura, porque não havia lugar disponível para eles no alojamento (isto é, não havia divisões disponíveis na casa que os hospedava; em grego tô kataluma, em lat. in deversorio). Maria necessitava de um local tranquilo e isolado para o parto (lucas 2:4-8). Lucas diz que, no dia do nascimento de Yahushua, os pastores estavam no campo guardando seus rebanhos “durante as vigílias da noite”. os rebanhos saíam para os campos em março e recolhiam nos princípios de novembro. Os pastores só permanecem guardando as ovelhas ao ar livre durante o verão! com certeza, Yahushua não nasceu em 25 de dezembro, quando nenhum rebanho estava no campo! A data exata do nascimento de Yahushua é inteiramente desconhecida. o mais plausível é que tenha sido no começo do outono – provavelmente em setembro, aproximadamente seis meses depois da páscoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário