terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Diante do Rei dos Reis e Senhor até as Curraleiras tem que dobrarem os joelhos !

Capitulo I
      Em uma grande fazenda no interior do Brasil existia um agregado( Empregado da fazenda) O qual servia a Jesus e tinha compromisso verdadeiro com Deus. Seu patrão Sr. Petrônio  homem muito rico, cheio de si mesmo dono de muitas fazendas ele não acreditava muito em Deus e achava o Evangelho de Cristo uma bobeira,  ele sempre replicava com João a cerca de sua fé e João respondia com convicção:
- Deus é meu protetor por isso não tenho medo do que possa me fazer o homem!
     Ali naquela fazenda sede das demais existia uma represa (lagoa) água muito limpa cristalina que ficava bem no meio do pasto e servia para o gado beber água. Um certo dia João foi até o seu patrão e pediu:
- Patrão estou aqui para pedir ao sinhô se  o sinhô cederia a sua lagoa que tem a água limpa e boa para minha Igreja fazer um batismo aqui no mês que vem? Pediu co humildade o irmão João.
   O sr Petrônio pensou um pouco coçou o queixo e respondeu com ar de deboche :
- Apesar de eu não gostar dessa sua gente, vou permitir que façam o tal batismo aqui!
- Fico muito agradecido patrão entonçe vou avisar meu pastor que o sinhô deixou e vamos fazer um grande batismo mês que vem aqui nessa bunita lagoa.
- pode avisar o tal pastor com seus crentes que pode vir tomar banho na minha lagoa kkkkkkkkkk
- Não patrão não vão tomá banho não é um ato sagrado o batismo que é para arrependimento de pecado e tornar um verdadeiro fio de Deus!
- Já que você diz João kkkkkkkkkk.
    João foi a noite no culto e falou com o pastor que o seu patrão havia consentido que fizessem o batismo lá na fazenda. o pastor comunicou a igreja que muito se alegraram com a noticia e também o pastor convocou a igreja para um mês de oração e jejum em favor de tal realização.
(Continua no próximo capitulo , não percam!)

  


Capitulo II

   O Rico fazendeiro desde aquele dia  passou a ri sozinho e quando era questionado do que achava tanta graça dizia que era nada, mas dentro de si maquinava o mal contra o povo de Deus; os tais crentes como ele dizia. O tempo passou depressa e o dia do batismo estava próximo. João estava em um contentamento muito grande, na lida do dia-a-dia vivia cantando ora assoviando louvores a Deus.
  O fazendeiro aproximou de João que lidava ali perto da casa sede da fazendo  e com um sorriso sarcástico perguntou:
- Então João esse seu tal de Jesus e poderoso mesmo e livra vocês os crentes de todos os perigos?
- Porque o sinhô pregunta patrão!
- Ouço sempre você dizendo que ele protege  os crente, e então porque que o crente morre?
- Para dizer a verdade pro sinhô crente não morre não, ele passa dessa vida para uma melhor! Responde João entusiasmado.
- Conversa fiada, como você sabe se é para uma vida melhor se nunca morreu para saber! Questiona o fazendeiro.
- Quem garante é a Bíblia Sagrada que é a palavra de Deus e o próprio sinhô Jesus falou que ele mesmo prepararia uma vida melhor para quem o aceitasse como seu Salvador. Fala João.
- Essa tal de Bíblia foi escrita por mãos de homem  um comedor de feijão feito eu e você João! Fala  o fazendeiro em tom de zombaria.
    João tenda explicar mas o fazendeiro fala:
- Vou embora para não ficar ouvindo essa besteira de religião... O que eu queria saber era se os crentes confia mesmo que esse tal Jesus é poderoso para  os livrarem de todo perigo! 
     O fazendeiro foi embora com um largo sorriso nos lábios e joão sem entender o que acontecia como fazia todos os dias orou a Deus para que Jesus salvasse o seu patrão.

Capitulo III


O mês havia passado o preparativo para o batismo estava em pleno vapor, faltava agora apenas três dias para o evento. O rico fazendeiro planejou, premeditou o mal que iria fazer e naquele mesmo dia mandou que os peões fechasse no curral  o gado e as mais bravas curraleiras e que por três dias desse somente sal para o gado e não os deixassem beber água. O peões não entendeu o porquê, mas obedeceram a ordem do seu patrão.
   O dia chegou uma grande multidão na beira da lagoa cantavam louvores a Deus e havia grande alegria, pois muitos eram os que iram descer a água (batizar). Ouvia o canto e o som dos instrumentos lá na sede da fazenda e assim que começaram a celebração o Rico fazendeiro chamou dois de seus empregados e disse:
- Soltem o gado para que possam tomar água! Deus a ordem em tom seco.
- o patrão esqueceu que os crentes estão lá na lagoa, fazendo o tal batismo deles e se soltarmos o gado eles vão matar a todos que estão ali, afinal tem três dias que não bebem água! falou um de seus empregados.
- Verdade patrão e ainda estão juntas as mais bravas curraleiras se soltarmos não vai sobrar nenhum crente para contar a história! fala o outro peão.
- Mas  é isso mesmo que eu quero, ver morrer no chifre dessas curraleiras cada um desses crentes! kkkkkkkkkkk. 
- O patrão deve lembrar que há muitas crianças e...
- E nada apenas façam o que mandei! Fala o fazendeiro furioso com o questionamento de seus empregados.
- E como vai justificar para a justiça as mortes? Pergunta um dos peões.
- A lei aqui sou eu! é Depois posso dizer que invadiram a minha lagoa e o gado não gostou!
- Eles não dizem que o tal Jesus deles é poderoso, quero ver se ele pode livra-los do chifre de minhas bravas curraleiras.kkkkkkkkk



FINAL
    Assim que as porteiras foram abertas em disparada o gado saiu rumo a lagoa e o fazendeiro observava para ver o que aconteceria e como ele mesmo disse ver morrer a crentaiada no chifre das curraleiras e chamou os peões para verem junto com ele  e  assim que o gado aproximou da lagoa pararam de repente como se por uma encantamento foram ajoelhando  um por um em reverencia a alguém que dava as ordens (invisível, somente o gado podia ver), ficaram assim até  o batismo terminar e assim que  terminou o gado tranquilamente desceu a beber água sem nada fazer de mal a nenhum crente presente ali.
    O olhar perplexo do fazendeiro e de seus peões ao presenciarem tal cena, quando o pastor e João vei ao encontro do fazendeiro o encontrou de joelho e dizendo:
- Quero esse Jesus...quero esse Jesus....
 E o pastor chamou a igreja e orar pelo fazendeiro o qual fez a sua decisão aceitando a Jesus como seu salvador. O Sr Petrônio confessou seus pecados foi batizado ali naquela lagoa e fez uma igreja ali na fazenda e virou o pastor dirigente daquela Igreja.
    Findo dizendo assim: "DIANTE DO REI DOS REIS JESUS CRISTO ATÉ A MAIS BRAVA CURRALEIRA TEM QUE DOBRAR OS SEUS JOELHOS".
Você love a teu Deus! Saiba ele tem cuidado de ti!
             

Nenhum comentário:

Postar um comentário