domingo, 19 de fevereiro de 2012

O que Deus Uniu não separe o Homem!

Família Presente de Deus Valorize a sua!

INGREDIENTES


Família (é aqui que tudo começa)
Amigos (nunca deixe faltar)
Raiva (se existir que seja pouca)
Desespero (pra quê)
Paciência (a maior possível)
Lágrimas (enxugue todas)
Sorrisos (os mais variados)
Paz (em grande quantidade)
Perdão (á vontade)
Desafetos (se possível nenhum)
Esperança (não perca jamais)
(quanto maior melhor)
Amor (pode abusar)
Carinho (essencial)



MODO DE PREPARAR:


Reúna a sua família e seus amigos....
Esqueça os momentos de raiva e desespero passados.
Se precisar use toda sua paciência....
Enxugue as lágrimas e as substitua por sorrisos..
Junte a paz e o perdão e ofereça os seus desafetos.
Deixe a esperança crescer no seu coração....
Nem sempre os ingredientes da vida são gostosos,
por tanto saiba misturar todos os temperos que ela
oferece, e faça dela um prato de raro sabor)....


Relacionamento conjugal




Não existe amor a primeira vista. O que existe é a pessoa certa, no momento certo. Você por acaso estava lá!


O amor é:



Em cada momento um instante

Em cada instante uma afirmação
Em cada afirmação uma certeza
Que jamais você sairá do meu coração.



ALICERCES DO CASAMENTO

“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne. E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.” (Gn 2:24,25)




Quando Deus criou o casamento, Ele o fez para que homem e mulher pudessem completar um ao outro em suas necessidades espirituais, emocionais, intelectuais, físicas e sociais. Para que o casamento cumpra o propósito é necessário, porém, que esteja alicerçado na Rocha que é Jesus.

O alicerce é a base sobre a qual se constrói um muro, uma casa, um edifício. A Bíblia diz em Lucas 6:48 “É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.”

O fato é que quando casamos trazemos toda a carga familiar que adquirimos em toda a nossa criação. Normalmente não aprendemos que só devemos conservar essa herança familiar se ela for boa e o que acontece é que preservamos conosco o bom e o ruim, o que pode prejudicar o relacionamento conjugal. Portanto, para a realização plena da aliança é necessário amadurecimento e emancipação (Gn 2:24).

Ao formarmos uma família, devemos aprender a tomar as decisões em casal, sem nos deixar influenciar pelas posturas de nossos pais e familiares. E para isso é preciso libertação de algumas amarras que muitas vezes tentam prender os cônjuges.

O casal deve buscar fortalecer um ao outro, tendo como prioridade gerar amor, comunhão e respeito no dia-a-dia. Tudo na aliança vem através da dedicação mútua e é alcançado quando o homem e a mulher decidem:

1. Deixar a dependência emocional.

“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne.” (Gn 2:24)

O casal, após firmar aliança, não deve morar com os pais de nenhum dos cônjuges, mas precisam ter em mente que construir uma família fala de viver um para o outro, cuidando um do outro. A provisão para o lar virá do trabalho dos dois e não mais dos pais, como antes.


2. Deixar os hábitos e heranças espirituais da família.

“...sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais...” (I Pe 1:18).

Muitas vezes, em virtude da convivência com os pais corremos o risco de nos tornarmos vítimas de um comportamento que poderá nos aprisionar por toda a vida. E ao entrarmos no casamento precisamos renovar a mente com base na Palavra de Deus.

Não podemos preservar conosco o que não é bom, por isso decida romper com todos os hábitos e heranças espirituais que você adquiriu em sua família que não contribuirão de forma benéfica para o seu relacionamento conjugal. Construa seu casamento firmado na Rocha.






3. Deixar a influência de certas palavras.

“A morte e a vida estão no poder da língua, o que bem a utiliza come do seu fruto.” (Pv 18:21)

No decorrer de nossas vidas recebemos muitas palavras que são contrárias ao propósito que Deus tem para nós. Quantas palavras que foram liberadas no reino do espírito e acabaram nos influenciando, de forma errada, a maneira de pensar e de agir. Essas palavras podem interferir no relacionamento e portanto, devem ser renunciadas.

A língua maligna destrói o caluniador, o caluniado e o ouvinte e a morte causada por essas palavras, na maioria das vezes não é física, mas é mortal, porque nem sempre pode ser vista, por isso mata a alma.



4. Deixar problemas de relacionamento familiar

“...tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem; e ninguém seja devasso, ou profano como Esaú, que por uma simples refeição vendeu o seu direito de primogenitura.” (Hb 12:15,16)

Muitas pessoas foram vítimas de agressões físicas, emocionais, sexuais e hoje carregam amargura na alma, lembranças dolorosas que podem afetar os sentimentos em relação aos pais e conseqüentemente em relação ao cônjuge.

A amargura prejudica o lar e impede que as bênçãos cheguem até o casal. Portanto, não alimente sentimentos negativos em sua vida, busque a cura de Deus para que você e o seu cônjuge tenham a melhor família de toda a terra.

Faça o conserto que for preciso, mas decida pela cura. A cura é o único meio pelo qual todo o peso do passado é removido. Precisamos arrancar todas as raízes de amargura que foram construídas no passado, porque toda raiz de amargura produz frutos amargos e nós fomos chamados a viver uma vida de plenitude, Jesus conquistou essa vida na cruz do calvário.

Deus tem bênçãos para a família de Gênesis a Apocalipse. Como Seus filhos temos um direito e uma herança de vivermos cada uma dessas bênçãos. Não abra mão de ter uma família alicerçada nas bases que a Palavra apresenta. Usufrua as benécies de Deus para o seu relacionamento conjugal, dessa forma vocês só têm a ganhar.



                                 QUANDO

Quando a gente ama
Os momentos mais simples
se tornam eternos é onde
vemos o quanto é gostoso
amar alguém é quando dois
corações batem juntos sempre
Quando um sabe o que o outro
sente é ter um sonho acordado
é ter pra quem voltar
é encantar-se com pequenos
gestos é se pegar sorrindo
sozinho e sem motivos
é simplesmente você!
Agradeço a Deus por ter você
em minha vida me fazendo viver
este sentimento tão raro,
O AMOR.



Período de adaptação


  • Segundo os melhores especialistas e terapeutas familiares, o período de adaptação é tido como uma das fases mais difíceis em todos os casamentos. Em alguns casos podendo chegar até cinco anos. Parece demorado, mas tem razão de ser assim. Ambos foram criados com costumes e culturas diferentes. O conhecimento real da outra pessoa pode causar choques e até traumas. É na vida diária que as pessoas descobrem os defeitos e qualidades de seus cônjuges. 
  • Soma-se a isto, o fato de que o casamento freia a pessoa. Os homens necessitam mudar seus hábitos de saírem sozinhos sem dizer aonde vão, dormir fora de casa, manterem conversas e brincadeiras com outras mulheres e quererem padronizar suas esposas. Da mesma maneira as mulheres com seus maridos. Pode ser que uma das maiores dificuldades enfrentadas logo no início do casamento seja a obrigatoriedade da submissão ao marido, principalmente aquelas que sempre foram independentes. Nossos conselhos: . Façam o possível para morar com certa distancia da casa paterna. Residir com os pais, ou em cômodos cedidos no mesmo quintal, nunca é bom. Ao casar o homem tem que ter competência para assumir suas responsabilidades! . Não alimentem o hábito de comentar com parentes e amigos suas desavenças. os problemas tenderão a aumentar. .
  •  Só recorra aos pais em busca de conselhos quando todas as tentativas de acordo não tiverem dado certo. . Não permitam que o casamento caia na rotina. A mesmice é inimiga da boa convivência. Sair para passear, jantar ou almoçar fora, visitar parentes ou amigos, servir a Deus com responsabilidade e trabalhar são detalhes importantíssimos para um bom viver. . Nunca esqueçam que o Senhor Jesus continua de mãos abertas para abençoar todos quantos o buscarem de coração. Individualismo A partir do momento do casamento o individualismo deve ser abandonado. 
  • A palavra de Deus afirma em Gen. 2:24 Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe e apegar-se-á a sua mulher e serão ambos uma carne Nenhum dos dois deverá agir separadamente,tomar decisões individualmente e desconsiderar as opiniões do outro. A vida de casados é uma parceria, uma sociedade onde tudo se completa favoravelmente quando ambos falam a mesma língua e tem os seus objetivos em comum.
  •  A palavra de Deus é literalmente contra o individualismo no relacionamento conjugal. Quando um se propõe a resolver tudo sem a participação do outro, estará demonstrando autoritarismo descabido. Pois o fato de dispensar a outra pessoa caracteriza desrespeito, desconsideração e, acima de tudo, falta de amor. O casamento é a fusão de duas vidas. A vontade do Senhor é que ambos vivam felizes a vida inteira juntos. Como pois haverão de conviver pacificamente anos a fio sem entendimento?


  • Andarão dois juntos, se não estiverem de acordo? Am.3:3. Falta de amor O amor conjugal pode ser comparado a uma pequena planta que necessita ser adubada, irrigada e protegida para que possa crescer, florir e produzir os seus frutos. Assim deverá ser o relacionamento do casal.
  • Carinho, respeito, atenção e amor são os ingredientes insubstituíveis para o crescimento e amadurecimento do casamento. É bom lembrar que o verdadeiro amor conjugal não esfria nem diminui com o passar dos anos. Antes se solidifica e aumenta. Diariamente, construímos a nossa própria vida. Que tipo de material estamos usando? Como estamos construindo?
  •  Porventura estamos construindo em lugar firme ou em terra fraca e movediça? Evidentemente, o amor conjugal também pode acabar,qual chama que vai se apagando gradativamente por falta de combustível, também o amor conjugal vai se extinguindo lentamente com o passar dos dias por não ser devidamente conservado. Contribuem para que isto aconteça as raízes de amargura, os ressentimentos, (Hb. 12:15) a falta de perdão; de carinho, de renuncia ,de humildade e indisposição para resolver as coisas. Substituição Em Gn. 2: 24 , diz:Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe e apegar-se-á a sua mulher... As lágrimas, tristezas e frustrações começam quando um resolve substituir o outro.Às vezes, a rotina pode levar uma pessoa a procurar algum tipo de fuga,tais como: Passar muito tempo assistindo televisão,brincando com vídeo games e navegando pela internet ;optar constantemente pela companhia de outra pessoa em detrimento do cônjuge; dispensar o outro em viagens ; jantares e lazer.
  • O normal é que ambos sintam prazer em estarem juntos.Compartilhando as mesmas coisas.Sorrindo e chorando unidos, andando de mãos dadas,investindo no casamento e preservando a família. A substituição gera frustrações, tristezas e um grande vazio. Ação esta, que não sendo revista e consertada pode levar o cônjuge a separação. Mutismo O mutismo é a vingança silenciosa. Por quaisquer descontentamentos a pessoa se fecha , não questiona,não opina e não dialoga.
  • O outro fala e ela não responde,e quando responde, faz questão de reafirmar sua posição de naturalidade: Deixando a critério da outra as responsabilidades das decisões. O mutismo é profundamente prejudicial, exatamente porque inibe a outra pessoa, desestimulando a aproximação e o diálogo .Tal qual casa com portas e janelas fechadas, impedindo a luz do sol entrar,assim é a pessoa que se isola em seus complexos, deixando de exercer uma das coisas mais belas da vida:Falar! O diálogo é um remédio infalível para a cura de muitos males que assolam os casais.
  • Dialogando as pessoas se entendem, se perdoam e colocam a vida na normalidade.O diálogo pode ser comparado a uma pista de duas mãos,uma que vai,outra que vem.Isto é,um fala,o outro responde.Cada qual à sua vez,com calma,seriedade e respeito.A longevidade de um casamento se mede pela intensidade do diálogo do casal.A prática do mutismo é uma das formas mais sutis do orgulho humano.Eliminá-la é decisão sábia e construtiva.

                                Lindo Leiam!

                
     

Um dia, um velhinho foi a uma de suas consultas periódicas
ao médico, só que desta vez um pouco apressado.
O médico então lhe perguntou:
- Pq a pressa? e ele respondeu:
- Todos os dias neste horário vou visitar minha esposa que está
num asilo. E o médico comentou:
- Que bacana! Então vcs matam as saudades, batem papo,
namoram um pouquinho!! E o velhinho diz:
- Não! Ela não me reconhece mais, por causa de sua doença.
O médico surpreso então pergunta:
- Mas pq então tanta pressa para vê-la, já que não o reconhece mais?
E com um sorriso no rosto, o velhinho responde:
  Mas eu a reconheço! Eu sei quem ela é e o que representa na minha vida a
tantos anos. Por isso todos os dias eu a reconquisto, como se cada
conquista fosse única e verdadeira. Este é o verdadeiro 
amor....   
   

Um comentário: